Funfestival

Prótese capaz de sentir o toque como uma mão humana mais perto da realidade

Um estudo publicado na revista Science pode abrir caminho para uma mão protética capaz de sentir o toque como uma mão humana.

Por Meu Quadradinho em 16/05/2024 às 16:50:20

Um estudo publicado na revista Science pode abrir caminho para uma mão protética capaz de sentir o toque como uma mão humana. A tecnologia partiu de pesquisadores da Universidade de Uppsala e do Karolinska Institutet e também poderia ser usada para restaurar o tato perdido em pacientes após um acidente vascular cerebral.

Leia mais:

Como funciona a nova tecnologia de mão protética

  • Inspirando-se na neurociência, eles desenvolveram um sistema tátil artificial que imita como o sistema nervoso humano reage ao toque.
  • O sistema usa pulsos elétricos que processam informações táteis dinâmicas da mesma forma que o sistema nervoso humano.
  • "Nosso sistema pode determinar que tipo de objeto é apenas o sentindo e decidindo se é uma bola de tênis ou uma maçã, por exemplo", explicou Zhibin Zhang, do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade de Uppsala, na Suécia.
  • "Com esta tecnologia, uma mão protética pareceria parte do corpo do usuário", acrescentou o especialista.
  • O sistema artificial possui três componentes principais: uma pele eletrônica (e-skin) com sensores que podem detectar pressão pelo toque; um conjunto de neurônios artificiais que convertem sinais analógicos de toque em pulsos elétricos; e um processador que processa os sinais e identifica o objeto.
O hardware é composto por receptores artificiais fabricados em um filme de poliimida em formato de mão e um circuito PCB que converte sinais analógicos. Crédito: Science (2024). DOI: 10.1126/science.adf3708

Em princípio, o sistema pode aprender a identificar um número ilimitado de objetos, mas nos testes, os investigadores usaram 22 objetos diferentes para agarrar e 16 superfícies diferentes para tocar. Segundo os pesquisadores, as novas próteses também vão conseguir manusear objetos com a mesma destreza de uma mão humana.

Próximo passo é adicionar sensibilidade a dor e calor

"Também estamos pensando em desenvolver o sistema para que ele possa sentir dor e calor. Ele também deve conseguir sentir o material que a mão está tocando, por exemplo, se é madeira ou metal", explicou o professor assistente Libo Chen. , que liderou o estudo.

O estudo foi realizado em cooperação com pesquisadores da Divisão de Sinais e Sistemas da Universidade de Uppsala e um grupo de pesquisadores do Departamento de Neurobiologia, Ciências do Cuidado e Sociedade, Divisão de Neurogeriatria do Karolinska Institutet. Com informações do TechXplore.

Comunicar erro
BURITIS

Coment√°rios

PONTUAL CARGO